Para a mulher que mais me amou nesta vida

* Por Alexandre Azevedo
Desde o meu primeiro dia de vida, conheço uma mulher incrível. Ela possui uma beleza sem igual e nunca me deixou sozinho quando precisei. Ao mesmo tempo que sempre estava ao meu lado para me proteger, ela também era a pessoa que mais me cobrava. Ela nos mostrava aquilo que não conseguíamos enxergar. Me dava todo o carinho que eu precisasse. Ela não falava aquilo que gostaríamos de ouvir, mas sim o que precisávamos. Sua personalidade era forte e nada era impossível para ela. Reinventou-se a vida toda e nunca deixou de praticar os ideais a que se propunha. Deus hoje tem uma moradora ilustre. Nunca me senti inseguro enquanto tinha você ao meu lado. Agora não... hoje o futuro me amedronta e me deixa inseguro. Se eu não conseguir, quem poderá me ajudar quando precisar? O importante agora não é o quanto consigo bater, mas o quanto suportarei apanhar.

Galeria Criativa

De uma parceria do principal veículo do trade publicitário, o Meio & Mensagem, com a empresa de tecnologia para a internet AUNICA (http://www.aunica.com/), nasceu a Galeria Criativa On Line (www.meioemensagem.com.br/galeriacriativa/), espaço hospedado no site do Meio & Mensagem (http://www.mmonline.com.br/) com uma exposição das propagandas mais criativas da internet na atualidade. Destaque para alguns cases de grandes anunciantes como Absolut, Coca-Cola Zero, Loreal Paris e muitos outros.
Segmento em constante crescimento de importância no planejamento de mídia das grandes corporações, a publicidade on line vem se mostrando uma ferramenta sem limites para a criatividade. Além disso, ela possui recursos e ferramentas que possibilitam desenvolver relatórios de campanhas veiculadas com todas as informações sobre o público atingido.
Vale muito a pena conferir e se divertir.

Maravilhas do Mundo Moderno 1

A capital dos Emirados Árabes Unidos, Dubai, está investindo pesado no potencial turístico da cidade. Este crescimento incrível se deve muito a necessidade do país em manter o alto padrão alcançado com a descoberta dos poços de petróleo. Especialistas já fizeram a previsão de que a fonte do petróleo deve secar até 2020 na região.
Leiam mais sobre dois projetos incríveis que já estão funcionando parcialmente na cidade, "The Palm Islands" (As Ilhas Palmeira) e o conjunto de ilhas privativas "The World" (O Mundo). A imagem abaixo mostra um layout de como ficarão as ilhas.

The Palm Islands (http://www.thepalm.ae/)
"As Ilhas Palmeira" são as três maiores ilhas feitas pelo homem no mundo e estão sendo desenvolvidas pela Al Nakheel Properties (http://www.nakheel.com/). Leiam abaixo maiores detalhes sobre cada uma delas:

The Palm Jumeirah (http://www.palmjumeirah.ae/) A primeira das ilhas a ser lançada (imagem acima), representa um dos mais destacados projetos imobiliários de todos os tempos. Localizada na costa de Dubai, a ilha ocupará uma área de 7 milhões de metros quadrados. A ilha é formada por 3 grandes áreas: The Crescent (relação com o formato de uma lua crescente), The Crown (relação com o formato da coroa de uma palmeira imperial) e The Trunk (relação com o formato do tronco de uma palmeira imperial). Vejam uma série de vídeos-documentários sobre a construção desta incrível ilha: 1º vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=WybVe8eXXqw&feature=related 2º vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=WvhJEbBGhYg&feature=related 3º vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=wlfwumKgKko&feature=related 4º vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=1EsziYYIp10&feature=related 5º vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=7AVCHKv_OXM&feature=related
The Crescent: área do complexo com 12 km de comprimento, rodeia a área da ilha, funciona como quebra-ondas e foi desenvolvida por especialistas para suportar ondas de até 4 m. Com o objetivo de se tornar um dos principais destinos turísticos, esta área irá abrigar 22 hotéis boutique dentro de sua extensão. O destaque desta área da ilha fica com o luxuoso resort Atlantis, The Palm (imagem acima). The Crown: este setor da “Palmeira” é formado por 17 ramificações de terra com as fabulosas residências de frente para o mar (imagem acima). Os compradores podem escolher entre uma grande variedade de temas e estilos, garantido assim que a escolha seja realmente aquela sempre sonhada.
The Trunk: o “tronco da palmeira” será onde estarão os mais luxuosos apartamentos do mercado imobiliário de Dubai. O local será o ponto central da “Palmeira Jumeirah” com parques temáticos como o espetacular Cirque Du Soleil, que fará shows permanentemente no local, o incrível hotel e centro de negócios Trump International (imagem acima), marinas, shoppings e restaurantes. Ele também terá o serviço de trem “monorail” para a conveniência dos residentes e turistas.
Inauguração:
Ignorando completamente a crise econômica mundial, foi inaugurado oficialmente em Dubai, no dia 20 de novembro, o hotel “Atlantis, The Palm” (imagem acima), que é um dos principais empreendimentos da ilha artificial “Palm Jumeirah”. A festa de 20 milhões de dólares recebeu convidados celebridades como Robert De Niro, Janet Jackson, empresários como Richard Branson e atletas como Boris Becker e Michael Jordan.
Mais de 2.000 personalidades foram convidadas pela sociedade Kerzner International, do magnata sul-africano Sol Kerzner, e seu sócio local, a Nakheel, controlada pelo emirado, para a inauguração oficial do hotel cinco estrelas, que abriu suas portas em setembro passado. Um incrível espetáculo de fogos de artifício (fotos acima e vídeo abaixo) e um show da australiana Kylie Minogue abrilhantaram o evento. video
O hotel que custou US$ 1,5 bilhão e conta com 1.539 quartos, com preços que podem chegar a US$ 35 mil a diária, tem o maior parque aquático do Oriente Médio e um gigantesco aquário de 11 milhões de litros de água e 65.000 peixes. Vejam abaixo um vídeo institucional do resort. video
The Palm Jebel Ali (www.palmjebelali.ae) A segunda das “Palmeiras” a ser lançada, a “Palmeira” Jebel Ali (imagem acima) é uma consequência do sucesso com o lançamento da primeira das ilhas. 50% maior que a primeira. Palm Jebel Ali terá como foco oferecer residências com uma série de services e opções lazer à disposição. Residências de alta padrão, incluindo vilas exclusives, serão protegidas e rodeadas por 15,5 km de terras desenvolvidas especialmente para funcionar como quebra-ondas. As grandes diferenças desta ilha para a primeira, são que em sua área central estarão localizados 8 hotéis luxuosos de primeira classe e a ilha terá uma área construída com casas chamadas “water homes”, que possuem espaço para estacionamento de barcos privativo.

The Palm Deira (www.pd.ae) A maior das 3 ilhas, a “Palmeira” Deira (imagem acima) possui formato similar. Inicialmente, seu projeto não iria ser desenvolvido, mas em 2004 seu lançamento foi anunciado. A “Palmeira” Deira irá cobrir uma área de 14 km de comprimento e 8,5 km de largura. A ilha será basicamente composta por residências, marinas, shoppings e clubes. Divididas em 3 estilos de moradias, o complexo terá 8.000 residências.

The World (www.theworld.ae) Na costa de Dubai, um conjunto de ilhas privativas feitas pelo homem no formato dos continentes do mundo, o complexo “The World” (imagem acima e vídeo abaixo) reinventa o planeta Terra e oferece privacidade e exclusividade. Investidores e compradores interessados têm a oportunidade de criar seu próprio negócio ou residências de luxo. Um detalhe interessante que cada uma das 260 ilhas produzidas foram cercadas com quebra-ondas para proteger de grandes tempestades. video

Entrevista Alexandre Gama

O site Jornalirismo (http://www.jornalirismo.com.br/) fez uma entrevista ótima com Alexandre Gama (foto), o presidente da agência Neogama/BBH, que é hoje uma das principais agências de propaganda do Brasil e do mundo. Atendem contas de clientes grandes, como o Bradesco, Diageo etc.
Veja abaixo um dos principais trechos da entrevista e a entrevista completa clicando no link abaixo:
Alexandre Gama – Fui na base do “Vamos nessa, já me separei, e emocionalmente não tem nada pior que isso”. Mas trabalhar na DM9 era muito pior.
Jornalirismo – Era uma espécie de capitania hereditária, coisa de sinhozinho?
Alexandre Gama – Era um ambiente para você trabalhar com máscara de oxigênio. Precisava.
Jornalirismo – O pessoal conta que tinha lavagem de sal grosso.
Alexandre Gama – Era uma agência de sincretismo religioso. Tinha vários jabutis, coisas que não eram propaganda. Não entendia aquilo. Fiquei quatro anos.
Jornalirismo – E era insalubre devido ao número de horas de trabalho? O estresse?
Alexandre Gama – O número de horas, claro, era altíssimo. Mas, disso, nunca reclamei. Dependendo do modo que você passa as horas, a quantidade é irrelevante. Mas, quando você é muito jovem, não liga para isso, porque não tem referência. Se hoje existem os melhores lugares para se trabalhar, lá seria um dos piores. Um ambiente ruim. Porque as referências éticas eram as piores, os valores, também [Alexandre iria depois para a agência Almap/BBDO; depois para a Young & Rubicam; e, em 1999, fundaria sua própria agência, a Neogama; em 2002, a Neogama se associaria ao grupo britânico de propaganda BBH, nascendo a Neogama/BBH].
Jornalirismo – Lembrei agora do episódio que aconteceu recentemente no MaxiMídia [no dia 9 de outubro, durante debate chamado “Oportunidades e Riscos”], um desdobramento de uma briga grande que vem há bastante tempo, entre o Fábio Fernandes [presidente da agência F/Nazca, dona, entre outras, da conta da cerveja Skol] e o Nizan [hoje responsável pelo Grupo ABC, que controla agências como MPM e Africa, entre outras]. Parecem dois tipos de modelo de negócio diferentes, ou opostos, não sei. Queria que você fosse um pouco nesse caminho.
Alexandre Gama – Tem muito personalismo na nossa profissão de publicitário. E, na verdade, nesse caso específico, ele [o conteúdo da discussão] é muito pouco relevante. O Stephen Kanitz [o consultor de empresas Stephen Kanitz], que veio logo em seguida desse papo no MaxiMídia, disse tudo. No meio da palestra, falou assim: “Olha, esses são dois tipos de empresário que, daqui a cinco anos, não vão existir mais”.
Jornalirismo – Por quê?
Alexandre Gama – Por esse tipo de empresariado estar focado no seu próprio ego, acima de tudo, como os dois demonstraram ali, realmente não se encaixam hoje no conceito que chamaria de sustentabilidade. Um conceito mais amplo de vida. Sustentabilidade não é um conceito ambiental. A gente está tentando mudar, para encarar a sustentabilidade como um conceito de vida. Individual, primeiro, comunitário e coletivo, depois. Se você compra o conceito de sustentabilidade, tem que ir a fundo, não dá para comprar só um pedaço. A primeira coisa que acontece ao adotar o conceito de sustentabilidade para a sua vida é botar primeiro a ética. Ética é um conceito de regra de comportamento, e a sustentabilidade tem regras de comportamento que você tem que conhecer muito bem antes de dizer: “Vou entrar nessa”. Porque, em primeiro lugar, ela vai cobrar de você uma coerência muito grande. Gosto muito da coisa: “Walk the talk”. Andar com o que você diz. Lembro de uma frase muito reveladora sobre o outro tipo de comportamento, que é do próprio Nizan: “Eu não tenho compromisso com nada”. Acho que isso resume um tipo de ética: não ter compromisso com nada é um tipo de ética. Significa: “Eu tenho compromisso com aquilo que eu tenho de ter compromisso agora”. Esse mundo está acabando.
Jornalirismo – Mas o Nizan se coloca como o empreendedor do futuro, como o grande empresário brasileiro. E ele é?
Alexandre Gama – Não, não é. O Nizan joga para a imprensa. Joga para vocês, e vocês compram. Por quê? Porque ele sabe que o jornalismo vive de notícia, vive do que aconteceu hoje. E jornalista não tem compromisso com a verdade, tem compromisso com a notícia. E a gente vive tempos na comunicação em que realmente precisa vender jornal, vender revista. A multiplicação dos meios de comunicação indica que cada segundo seja importante. Não existe isso, não acontece uma coisa importante a cada segundo. Então o desimportante, hoje, tem uma pauta muito maior na cabeça do jornalismo do que teve em qualquer outro tempo na história do jornalismo.

Apenas algumas palavras

Quero praticar um exercício de escrita...
Escrever sem parar sobre qualquer coisa, mesmo que não tenha sentido algum.
Sinto o calor da noite e deixo a realidade suportável.
Um pouco de vinho, chocolate e uma boa música.
"In the Dark".
Mais um dia completado.
Incrível, já tem decoração para o Natal na cidade inteira...
Eu não sei se sou um caso raro, mas essa época as vezes é um pouco depressiva.
É um feriado em família.
E parte da minha família já não pode estar comigo.
Chega o final do ano e começamos a lembrar de como estávamos naquela época e como estamos agora.
Será que estamos piores? Melhores?
Acredito que nenhum dos dois... nós estamos apenas diferentes.
Mais experientes? Com certeza.
Vingue-se e se sinta feliz por um momento.
Perdoe e se sinta feliz para sempre.

Melhores Hotéis 2

Localizado na região da Berrini, um dos maiores centros empresariais de São Paulo, o hotel Grand Hyatt São Paulo apresenta acomodações de luxo, restaurantes de alta gastronomia, centro de convenções e spa urbano completo.
A decoração contemporânea apresenta madeiras e elementos naturais que criam um ambiente residencial aconchegante e luxuoso. Inclui cama king size com cabeceira de madeira Louro Faia (foto), banheiros espaçosos com banheira e ducha independentes, além de um exclusivo trabalho de mosaico de mármore importado da Itália e produtos de banho Granado. Os apartamentos ainda oferecem ampla área de trabalho com conexão de Internet de alta velocidade via cabo e wireless. Gastronomia: O hotel possui, como principais atrações, o restaurante Eau e o Upstairs Bar Lounge. Eau: No Eau, o bom gosto é o ponto de partida, desde a criação do ambiente pelo designer Don Siembieda, com linhas simples e sofisticadas, às novas criações do jovem, mas já consagrado chef Laurent Hérve. Cada detalhe foi pensado para que você possa apreciar as novidades criativas da cozinha francesa contemporânea: pratos leves, modernos e requintados, com ênfase no sabor e na apresentação cuidadosamente elaborada. Site: http://www.eau.com.br/
Upstairs Bar Lounge: Um dos lugares mais exclusivos da cidade, o Upstairs Bar Lounge é uma área moderna e sofisticada para realizar seu evento em grande estilo. Especializado em cachaças - mais de 38 rótulos na selecionada carta - e com um cardápio único de aperitivos e petiscos, o bar oferece uma badalada happy hour. O ambiente tem tradição de trazer música ao vivo de alta qualidade apresentada por artistas de grande prestígio no cenário musical paulistano. Com projeto arquitetônico arrojado, o lounge apresenta montagem diferenciada, com bar fixo, paredes de vidro e elementos únicos para compor eventos de até 120 pessoas em formato coquetel ou para até 80 pessoas sentadas. Site: http://www.upstairsbarlounge.com.br/ Eventos: A maior parte da estrutura de eventos do Grand Hyatt São Paulo está localizada no Espaço Grand Hyatt, uma área integrada para conferências e eventos sociais, localizada ao lado do prédio principal do hotel, acomodando até 1.350 pessoas sentadas em 3.000m² de área total. Projetado para ser cenário de reuniões sociais ou de negócios, conferências, apresentações e seminários onde o luxo e o requinte estão evidentes em todos os aspectos, o Espaço Grand Hyatt permite a realização desde uma reunião mais simples, até as festas e eventos temáticos mais sofisticados.
Grand Ballroom (foto ao lado): Com uma área de 1.024 m² e pé direito de mais de sete metros, o Grand Ballroom está localizado no primeiro piso do Espaço Grand Hyatt e foi concebido com uma estrutura modular, podendo ser dividido em três salas independentes. Projetado com janelas que acompanham o pé direito, o espaço possui iluminação natural, além de cortinas eletrônicas, que permitem escurecer o ambiente em casos de necessidade. As paredes, revestidas com madeira Louro-Faia, são decoradas com painéis de seda indiana e garantem um espaço imponente e requintado. Equipado com telões e video wall, o Grand Ballroom é o espaço adequado para vídeoconferências e exibições, sendo versátil também para grandes eventos sociais, acomodando até 1.350 pessoas sentadas, e contando, ainda, com um charmoso foyer para coffee breaks e cocktails. Palm Ballroom: Localizado no segundo piso do Espaço Grand Hyatt, o Palm Ballroom possui uma área de 465 m², que também pode ser dividida em três seções independentes. Assim como o Grand Ballroom, esta espaço também recebe iluminação natural, podendo ser escurecido através de cortinas eletrônicas. Decorado com painéis de seda tailandesa, o Palm Ballroom conta ainda com um foyer e um terraço ao ar livre.
Salas de reunião: Se o objetivo for organizar pequenos grupos de até 60 pessoas, o Espaço Grand Hyatt oferece 7 salas privativas de reuniões. Cada sala possui decoração requintada, luz natural e estrutura que permite diversas montagens, um arranjo ideal para a realização de reuniões, almoços e jantares privativos. Sala Titanium: Para reuniões que requerem os mais avançados equipamentos audio visuais, a sala Titanium oferece toda a estrutura e conforto necessários: estrutura para vídeo conferência, isolamento acústico, tela de plasma fixa, mesa de reunião para 10 pessoas com pontos de internet acoplados. Gabinetes: Localizados no mezanino, próximos ao lobby do hotel e ideais para pequenas reuniões, os Gabinetes I e III possuem móveis fixos e têm capacidade para até 18 pessoas. O Gabinete II permite vários tipos de montagem, com capacidade para 48 pessoas em auditório. O destaque aqui fica por conta da decoração contemporânea e luz natural abundante através dos janelões. Site: saopaulo.grand.hyatt.com

Espaços para Eventos 1

Considerado um dos principais espaços para eventos corporativos e sociais de São Paulo, o Rosa Rosarum foi inaugurado em 1998. Projetado pelo já falecido engenheiro Yojiro Takaoka, o local foi inteiramente pensado através de muita pesquisa. Para colocar o sonho em prática, o engenheiro iniciou uma busca em São Paulo para encontrar o local ideal. E foi em Pinheiros que ele decidiu iniciar o empreendimento. O nome é síntese de tudo que Takaoka imaginou para o lugar. Tinha de ser romântico, sugerir beleza e felicidade, traduzir sofisticação e exclusividade.
Estrutura: O Rosa Rosarum possui dois salões principais, o Jade e o Pérola. Os dois ambientes possuem foyer exclusivo, cozinha, chapelaria, toilettes, camarins, sala vip, suíte e entradas independentes, o que permite a realização de dois eventos simultaneamente.
Salão Jade: Possui capacidade para 950 pessoas em auditório, 1.100 pessoas em coquetel, jantar à francesa para 600 pessoas com palco e pista de dança e até 640 pessoas com palco e sem pista de dança. Para jantares em buffet 510 e 580 com e sem pista de dança respectivamente.

Salão Pérola: Possui capacidade para 550 pessoas em auditório, 600 pessoas em coquetel, jantar à francesa para 360 pessoas com palco e pista de dança e até 410 pessoas com palco e sem pista de dança. Para jantares em buffet 300 e 360 com e sem pista de dança respectivamente.

Arquitetura: O projeto arquitetônico em estilo art déco, a imponente fachada (foto) e os detalhes como o mármore e os lustres de cristais enfatizam ainda mais o luxo e o requinte do ambiente.

Site: www.rosarosarum.com.br

Pensamento do dia

Perguntaram ao Dalai Lama:

"O que mais te surpreende na Humanidade?"

E ele respondeu:

"Os homens... porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.

E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro.

E vivem como se nunca fossem morrer...

... e morrem como se nunca tivessem vivido."

Curta seu maior presente... a vida...

Melhores Bebidas 2

A história Com presença global em mais de 200 países, a Johnnie Walker tem uma história de determinação que se estende por três gerações de uma família. Cada geração compartilhou da mesma paixão pela fabricação e destilação do whisky. Johnnie era filho do fazendeiro, Alexander Walker, que morreu em 1819, e o rapaz, então com 15 anos, era muito novo para continuar tocando a fazenda da família. Com a venda da fazenda, John abriu uma pequena loja em 1820 na cidade de Kilmarnock, localizada no oeste da Escócia. O pequeno estabelecimento vendia chás, vinhos, bebidas e comidas secas, começando a desenvolver uma clientela de alta reputação. Enquanto isso, o mercado de whisky estava mudando no mundo inteiro. As destilarias, muitas delas ilícitas, começaram a se profissionalizar e Johnnie viu uma grande oportunidade de ingressar nesse ramo de atividade, começando a destilar seu próprio whisky. Utilizando toda sua habilidade, iniciou a produção, vendendo o produto para seus clientes, que logo começaram a exigir um nome para a bebida. Foi neste momento que o whisky ganhou o nome de Johnnie Walker. Em 1857, o filho de John, Alexander, assumiu os negócios da família com a morte de seu pai. Em 1880, abriu escritório na cidade Londres, por onde exportava seu produto para o resto do mundo. Quando Alexander morreu em 1889, deixou o negócio para seus dois filhos, George e Alexander. Alexander ficava responsável pela produção e George viajava o mundo estabelecendo uma rede de distribuição. Em 1920, podiam-se encontrar os whiskys Johnnie Walker em 120 países. Nas décadas de 30 e 40, investiu no setor de distribuição para popularizar ainda mais a marca pelo mundo. O resto da história é o sucesso de uma marca que se espalhou pelo mundo. Todos os tipos de Johnnie Walker têm uma cor diferente, o que é uma forma de dar um destaque para a característica principal de cada um deles. Existem várias edições especiais que foram lançadas durante sua história, mas os principais tipos do whisky comercializados são:
Red Label: O blend do Red Label é envelhecido por 8 anos, composto de 35 tipos de grãos e maltes e é recomendado para a preparação de drinks. Graduação alcoólica: 40%.
Vejam um pouco sobre os drinks que podem ser preparados com esta bebida no site http://www.johnniewalkerredmix.com.br/.
Black Label: Lançado em 1909 por George & Alexander Walker, netos de John Walker, que decidiram criar um "Blend Scotch Whisky" que fosse ao mesmo tempo rico e encorporado. Envelhecido por, no mínimo, 12 anos, o black label tem uma seleção inigualável de mais de 35 maltes na sua composição que garantem a sua superioridade. Possui aroma doce amadeirado, cravo-da-índia, doce de manteiga e sabor acentuado de mel. Graduação alcoólica: 40%.
Green Label: Lançado em 1997, Johnnie Walker Pure Malt é o primeiro scotch whisky composto apenas por maltes, tendo como principal diferencial o sabor mais marcante que os blended scotch whiskies e mais suave que os single malts. Selecionado no auge de sua maturação, combina diversos e característicos maltes envelhecidos por no mínimo 15 anos. Um equilíbrio perfeito de maltes complexos e sutis das Highlands na Escócia, maltes pesados e defumados das ilhas de Islay e de Speyside, utilizando predominantemente os maltes Caol Ila. Graduação alcoólica: 46%.
Gold Label: Envelhecido 18 anos, o Johnnie Walker Gold Label foi lançado para celebrar o centenário da destilaria. O seu blend tem 15 maltes diferentes, incluindo o raro malte Clynelish. É um whisky suntuoso e suave, com uma textura cremosa sabor de mel, baunilha, frutas secas e malte. Graduação alcoólica: 40%.
Blue Label: O mais sofisticado whisky da família, foi lançado em 1992 e é feito a partir de whiskys raros. Cada garrafa acompanha um certificado de autenticidade e não há um tempo de envelhecimento declarado, mas o livro informativo que acompanha a bebida atesta que alguns dos blends utilizados são envelhecidos por mais de 60 anos. Graduação alcoólica: 40%.
Striding Man O famoso logotipo da marca, chamado de Striding Man (imagem acima), ou andarilho, foi lançado em 1909, ao mesmo tempo em que os renomados whiskys Red Label e Black Label. A tradicional figura, com chapéu de pele de castor, túnica vermelha, calça branca botas de montaria, e monóculo inquisitor, foi criada primeiramente pelo popular cartunista Tom Browne, como uma homenagem de George e Alexander Walker a seu avô e ao progresso, pioneirismo e a saga da família Walker. O símbolo foi redesenhado através dos anos por uma sucessão de grandes artistas plásticos como Basil Partridge, Leo Cheney, Clive Upton e Michael Peters. Sua roupa foi alterada ocasionalmente e diferentes posições foram adotadas, mas nunca perdeu o conceito de “continuar andando”, se tornando um dos logotipos mais reconhecidos no mundo.

Campanhas que fizeram história A marca efetuou sua primeira ação publicitária global em 1999 com o lançamento da campanha “Keep Walking”, criada pela agência de publicidade BBH de Londres com custo inicial de US$ 150 milhões. O conceito da campanha era simples, “continue andando”, que representava o progresso e pioneirismo dos produtores da marca. A nova fase atual da campanha com o conceito “Eu não sou o futuro. Você é”, mostra um robô que fala diretamente com o telespectador. Ele se diz mais forte, mais rápido e afirma que com certeza irá durar muito mais tempo. Apesar disso, fala que se pudesse desejar algo, desejaria ser humano. O filme tem grande apelo emocional, porque toca na questão da imortalidade. O personagem afirma que enquanto ele só precisa evitar desgastes para ser imortal, o homem tem que fazer algo notável para tornar-se eterno (veja a propaganda abaixo). video

Melhores Hotéis 1

O impressionante hotel Burj Al Arab, localizado em Dubai, é considerado o melhor hotel do mundo. A idéia da construção desse oásis no meio do deserto foi do xeque árabe Mohammed bin Rashid Al Maktoum, príncipe herdeiro de Dubai. Em 1993, o arquiteto Thomas Wills Wright, do escritório britânico WS Atkins, um dos maiores do mundo na área de engenharia e arquitetura, assinou contrato para desenhar o projeto. Mais de 70.000 metros cúbicos de concreto e 9.000 toneladas de aço foram usados para erguer a torre de 321 metros de altura em formato de vela de barco, que é uma homenagem à tradição marítima da região.

Sua inauguração ocorreu em 1999 e, desde então, os proprietários não têm poupado esforços para promovê-lo. Em 2005, por exemplo, o heliponto do Burj Al Arab foi transformado numa quadra de tênis para um jogo de exibição entre o americano Andre Agassi e o suíço Roger Federer (foto).
Na decoração da construção, foi usado ouro suficiente para cobrir um campo de futebol oficial. O hotel é rodeado por esculturas coreografadas por fontes de água e chamas de fogo. Quem quiser desfrutar desta jóia, terá de pagar por uma diária mínima de 2.000 dólares.
Tudo ali foi concebido para superar de longe o que a concorrência oferece de melhor em termos de luxo. O festival de mordomias começa no traslado do aeroporto de Dubai ao Burj Al Arab, em que o serviço é feito a bordo de helicópteros ou de Rolls-Royce (foto). O saguão do hotel tem o átrio mais alto do mundo, com 180 metros. Há também um mordomo por andar à disposição dos hóspedes, 24 horas por dia. Como o Burj Al Arab fica numa ilha artificial a 280 metros da praia, existe uma frota de carros elétricos que transportam os hóspedes por uma ponte até o continente. Lá, instalados na areia, eles recebem toalhas geladas e, de tempos em tempos, jatos de spray da água francesa Evian para suportar a temperatura que, no verão, bate na casa dos 40 graus centígrados.
O hotel possui 6 restaurantes e um dos mais badalados é o Al Mahara, onde as mesas estão dispostas ao redor de um aquário gigante com tubarões e enguias, entre outras espécies. Todas as suítes (foto) são no padrão dúplex, com vista privilegiada para o Golfo Pérsico, e vêm equipadas com laptops, TVs de plasma de 42 polegadas e um menu que permite aos ocupantes escolher entre 13 opções de travesseiro.
Construção:
Um dos projetos mais arrojados do arquitetura moderna, o hotel foi um desafio para os engenheiros que participaram de sua construção.

Em 1993, a empresa de resorts Jumeirah International apresentou sua visão ao arquiteto do Burj Al Arab, Tom Wright. Jumeirah queria algo icônico - um edifício que pudesse destacar-se dentre os marcos mais importantes do mundo. O preço não era um fator. Jumeirah também desejava seu hotel de luxo construído longe da costa, de modo que ele se destacaria do desenvolvimento nos arredores. Assim, todas as partes tendo concordado, o hotel-iate apropriadamente se ergueria do Golfo Persa, conectado por uma trilha elevada que seria cruzada apenas pela frota de Rolls Royces do hotel.

Entretanto, retirar a terra do oceano é algo extremamente difícil. Foram necessários dois anos para criar uma ilha que ficasse no lugar, sobre uma base de areia, por meio de fricção. Os operários mandrilaram pilhas de aço no fundo do mar para que suportassem o edifício massivo e armaram a ilha com unidades de concreto pré-moldado em forma de "telheiros" - blocos vazados especialmente projetados para minimizar a força das ondas. Os operários, em seguida, encheram a estrutura com areia escavada de um leito do mar longe da costa. A ilha, entretanto, não é um simples castelo de areia sustentado por concreto. Ela não somente suporta um edifício de 320 metros, como também tem três níveis de subsolo entalhados no mar.

Até mesmo depois de ter sido completada a criação de uma ilha de areia estendendo-se mais de 280 metros no Golfo, os arquitetos e engenheiros ainda tinham de projetar um edifício que pudesse suportar fortes ventos do golfo, tremores sísmicos e uma atmosfera corrosiva. O Burj consiste em um exoesqueleto de aço, vidro altamente refletivo, um mastro e a vela de tecido que o define. O exoesqueleto arqueia-se em forma de V, formando a estrutura do contorno da vela. Durante o dia, o tecido suaviza a luz que é filtrada para o interior do átrio. À noite, o tecido scrim serve como uma tela de projeção para um show em luzes exuberantes. O mastro, que não faz parte do exoesqueleto, ergue-se cerca de 60 metros acima do topo do edifício.
Duas estruturas projetam-se além da linha reta do mastro e da vela curva. O Restaurante Sky View (foto) está situado na lateral do mastro, cerca de 200 metros acima do oceano. No outro lado do edifício, um heliporto circular parece pairar na parte frontal da vela.
Seguem abaixo os links para o vídeo-documentário, dividido em 5 partes, que exibe passo-a-passo a construção desta maravilha!
1ª Parte:
2ª Parte:
3ª Parte:
4ª Parte:
5ª parte: